22/09/16

Aproveite cada sanduíche

  e arquivado em    



Uma verdadeira celebração da vida, este livro é o legado de um médico após receber o diagnóstico de um câncer fatal. Sua reflexão pessoal e profunda lembra a todos que ao invés de temermos a morte, devemos aproveitar a vida, desfrutando dos momentos bons e aprendendo com os não tão bons, sem jamais perder de vista o que realmente importa e como ter a coragem de viver como sempre sonhamos.

O livro conta a história de  Lee Lipsenthal,Médico e especialista em meditação,medicina holística ,entre outras especialidades.
O doutor Lee,é uma pessoa fantástica!! realizado,casado com amor da sua vida,dois filhos adultos...e vive a ajudar pacientes e médicos a lidarem com dor,perda,estresse ...
Uma vida maravilhosa no auge dos cinquenta e poucos anos ,até que PIMBA!!
Ele descobre um cancêr terminal e aí começa a grande luta pela vida,aceitação e superação...
O livro ,não é aquilo que você pode está pensando : MEU DEUS QUE LIVRO TRISTE....pelo contrário é uma lição de vida para todos nós,pois eu me beneficiei bastante com a leitura...pois enfrentar o medo,a tensão e as incertezas da vida,são essenciais para se enfrentar qualquer outra adversidade...e esse livro me deu isso!! 
Deixar a vida se encarregar dela própria ,claro que podemos dar uma forcinha fazendo coisas certas,porém sabendo que nosso destino não está nas nossas mãos!! Todos nós poderemos adoecer e morrer,ou ter uma vida longa e morrer de velhice...o importante é saber que não controlamos nada na vida.
Depois desta leitura,vou tentar mudar muitas coisas na minha vida DESACELERAR !!
Viver e não me cobrar tanto,amar minha família sem cobrar tanto...
Enfim,o livro mostra a luta do doutor Lee com o tratamento,as dúvidas etc...
Porém ,não contar mais,pois acho que esse livro merece ser lido e apreciado,como um presente do DR Lee para todos nós.
Ameiii o livro!! e recomendo sim!
DR LEE


20/09/16

Depois de Auschwitz

  e arquivado em    


Em seu aniversário de quinze anos, Eva é enviada para Auschwitz. Sua sobrevivência depende da sorte, da sua própria determinação e do amor de sua mãe, Fritzi. Quando Auschwitz é extinto, mãe e filha iniciam a longa jornada de volta para casa. Elas procuram desesperadamente pelo pai e pelo irmão de Eva, de quem haviam se separado. A notícia veio alguns meses depois: tragicamente, os dois foram mortos.

Este é um depoimento honesto e doloroso de uma pessoa que sobreviveu ao Holocausto. As lembranças e descrições de Eva são sensíveis e vívidas, e seu relato traz o horror para tão perto quanto poderia estar. Mas também traz a luta de Eva para viver carregando o peso de seu terrível passado, ao mesmo tempo em que inspira e motiva pessoas com sua mensagem de perseverança e de respeito ao próximo – e ainda dá continuidade ao trabalho de seu padrasto Otto, pai de Anne Frank, garantindo que o legado de Anne nunca seja esquecido.

Sempre tive vontade de ler esse livro,pois amo tudo que relata o holocausto,talvez por ser de ascendência judaica ,e de certa forma entendo o estigma do anti-semitismo .
O livro conta a história de Eva Schloss 
Menina cheia de vida ,que nasceu de um casal que como muitos judeus,foram prósperos pelo fruto de trabalho duro.
Eva ,cresceu cercada de amor do pai e da mãe que ela chama de Mutti,e de seu irmão amado Heinz.
Uma menina muito cheia de personalidade e energia.
A vida deles mudou completamente quando o nazismo tomou conta da europa,levando milhares de judeus aos campos de concentração.
A vida de Eva ,relatada por ela no livro,conta as etapas do desenrolar dos fatos do holocausto.
Contando o duro destino da sua família e de tantas outras...
Uma dessas famílias era a família de Otto Frank,pai da nossa querida Anne Frank.
Elas foram amigas na infância .
O que me fez gostar mais ainda do livro,foi o fato de ela relatar o que aconteceu com ela e a família ,depois que o nazismo foi derrotado...
O que aconteceu com Eva?
e com seus pais??
É coisas que só lendo e absorvendo a visão de Eva sobre os fatos que mudaram para sempre a humanidade.

 Fotos de Eva e família:

eva pequenina

eva ,a mãe e seu irmão

eva


eva hoje em dia

O livro é maravilhoso! eu super recomendo a leitura.




14/09/16

Livro físico ou digital??

  e arquivado em    

oiii!!! Hoje vim escrever sobre : é melhor livro físico ou digital??
Então vamos la!!!
Gosto de ler desde de muito nova,acho que com 5 anos já lia meus livrinhos sozinha ,e com a idade ,só me apaixono mais pela leitura.
Tenho muitos livros físicos,já que leio a muito tempo,e sou apaixonada pelo meu tesouro literário.
De uns 3 anos pra cá ,fui desenvolvendo umas dores muito fortes nas mãos,e com as dores ,uma fraqueza nas mesmas,ao ponto até já de livros cair da minha mão,por não aguentar um pequeno peso como um livro :(...
Bom...fui investigar de onde viam essas dores e descobri que tenho SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO...o que diabos é isso??

O que é?
     Esta síndrome é causada pela compressão do nervo mediano que passa por um canal estreito no punho chamado de Túnel do Carpo. A compressão é causada pelo aumento das estruturas que passam pelo túnel ou pelo seu espessamento.
     A doença é comum em pessoas que realizam trabalho manual com movimentos repetidos, mas também tem associação com alterações hormonais como menopausa e gravidez, o que explica a maior freqüência em mulheres na faixa de 35 a 60 anos. Outras doenças associadas são Diabetes Mellitus, artrite reumatóide e doenças da tireóide.
Sinais e sintomas
     Os sintomas mais freqüentes são: dor, choque, dormência, formigamento e perda da destreza nas mãos.
     A dor é pior a noite, principalmente após uso exagerado das mãos durante o dia e pode ser intensa a ponto de acordar o paciente. A dor pode irradiar para o braço e até para o ombro. Atividades que promovem a flexão do punho por longo período podem aumentar a dor.
     A diminuição da sensibilidade dos dedos, traduzida por dormência ou formigamento, acomete a palma da mão e poupa o dedo mínimo e o dorso da mão (Figura 2). Associada a uma certa fraqueza nas mãos, pode haver dificuldade de amarrar os sapatos, abotoar uma camisa e pegar objetos.
     Pode haver acometimento das 2 mãos em 60% dos casos.
Então ,aí começou meu dilema com livros físicos,porque sempre fico com dormência e dor ,pela forma que seguro o mesmo...daí um dia em um site eu vi um e-reader e no começo pensei:Nossa!! muito caro!! não vale a pena não!!
Pensei muito e resolvi comprar,então comprei o

Kindle Paperwhite Wi-Fi, iluminação embutida, tela de 6" sensível ao toque de alta definição.

E desde então eu me apaixonei por ele^^ 
Pequeno,iluminação muito boa,cabe muitosssssssss livros ,e muito leve,que era o que eu precisava para minhas mãozinhas sofridas,rsrsr
Além que estou amando o programa 

Kindle Unlimited ,que é como uma NETFLIX de livros,com 19,90 por mês ,temos mais  de um milhão  livros  para ler no aplicativo.

Além de ser bem ,mais baratos os livros digitais,quando compramos.
Porém,ainda compro livro físico sim!!! pelo cheirinho,páginas ,capas,rssrsrrs
E tem livros que temos que ter mesmo! porque rola um apego emocional,tipo filho sabe?? rsrsr
Enfim,eu amo ler! físicos ou digitais ,sou apaixonada por leitura.
Se vcs tem vontade de comprar um leitor digital ,creio que não vão se arrepender,eu ando muito satisfeita com o meu.
Para saber sobre o kindler Paperwhite veja 
AQUI
Porém qual o melhor? físico ou digital? EU AINDA AMO OS FÍSICOS.SRSRRS
Beijos!!


12/09/16

Resenha Os Dois Mundos de Astrid Jones

  e arquivado em    

“O movimento é impossível.” É o que Astrid Jones, 17 anos, aprendeu na sua aula de filosofia. E, vivendo na pequena cidade em que mora, ela começa a acreditar que isso é mesmo verdade. São sempre as mesmas pessoas, as mesmas fofocas, a mesma visão de mundo limitada, como se estivessem todos presos em uma caverna, nunca enxergando nada além.

Nesse ambiente, ela não tem com quem desabafar suas angústias, e por isso deita-se em seu jardim, olha os aviões no céu, e expõe suas dúvidas mais secretas aos passageiros, já que eles nunca irão julgá-la. Em seu conflito solitário, ela se vê dividida entre dois mundos: um em que é livre para ser quem é de verdade e dar vazão ao que vai em seu íntimo, e outro em que precisa se enquadrar desconfortavelmente em convenções sociais.

Em um retrato original de uma garota que luta para se libertar de definições ultrapassadas, este livro leva os leitores a questionarem tudo e oferece esperança para aqueles que nunca deixarão de buscar o significado do amor verdadeiro.

Um livro para adolescentes,que deveria ser lido por todas as pessoas...
Astrid é uma menina que veio da cidade grande ,para uma cidadezinha do interior ,onde as pessoas tem por principal passatempo : A VIDA ALHEIA
Sua família é bem mal falada na cidade,por serem diferentes das pessoas de mentes limitadas da cidade.
Astrid ,mora com a mãe,pai e irmã mais nova.
Como toda menina de 17 anos,ela está passando por conflitos internos,tão comum nesta idade...até que: Ela se vê apaixonada por sua colega de trabalho...
Aí começa todo dilema...Astrid é Gay? 
ela está agindo corretamente?
ela precisa se assumir?
ela precisa mudar e ficar com meninos??
Bem...O livro ,além  de outras lições nos mostra será que temos sido tolerantes, e nos colocamos no lugar do outro?
Será que entendemos os jovens ou adultos que são gays ,e só querem o que todos queremos: Ser felizes e amados?
É um livro com questões que hoje tem sido discutidas mais abertamente ,mais que na mente de algumas pessoas ainda causa polêmica.
Eu amei o livro,achei leve,leitura envolvente e bem construída.
Super recomendo a leitura ,e quando eu olhar para o céu e ver aviões...talvez mande meu amor aos passageiros daquele avião.



08/09/16

Resenha: Passarinha

  e arquivado em    



No mundo de Caitlin, tudo é preto e branco. Qualquer coisa entre um e outro dá uma baita sensação de recreio no estômago e a obriga a fazer bicho de pelúcia. É isso que seu irmão, Devon, sempre tentou explicar às pessoas. Mas agora, depois do dia em que a vida desmoronou, seu pai, devastado, chora muito sem saber ao certo como lidar com isso. Ela quer ajudar o pai - a si mesma e todos a sua volta -, mas, sendo uma menina de dez anos de idade, autista, portadora da Síndrome de Asperger, ela não sabe como captar o sentido. 
Caitlin, que não gosta de olhar para a pessoa nem que invadam seu espaço pessoal, se volta, então, para os livros e dicionários, que considera fáceis por estarem repletos de fatos, preto no branco. Após ler a definição da palavra desfecho, tem certeza de que é exatamente disso que ela e seu pai precisam. E Caitlin está determinada a consegui-lo. Seguindo o conselho do irmão, ela decide trabalhar nisso, o que a leva a descobrir que nem tudo é realmente preto e branco, afinal, o mundo é cheio de cores, confuso mas belo. 
Um livro sobre compreender uns aos outros, repleto de empatia, com um desfecho comovente e encantador que levará o leitor às lágrimas e dará aos jovens um precioso vislumbre do mundo todo especial dessa menina extraordinária. 


O que escrever de um livro que te tocou profundamente a alma??
Passarinha
Conta a vida de Caitlin ,uma menina autista,autista e asperger ,que é um tipo de autismo menos grave do que( minha filha khadija possui)
Caitlin, mora com o pai e acabou de perder o irmão em tragédia.
Ela sente muita falta do irmão,e ao mesmo tempo por ser autista e ter dificuldades de expressar seus sentimentos,sofre pela pouca falta de comunicação adequada com o pai e na escola.
E como é a vida de autista na escola?? tudo menos fácil!! Pois eles tem outra leitura do nosso mundo,sem maldade,sem covardia e falsidade.
Caitlin ,assim como minha filha segue programas para desenvolver empatia e educação adequada,e consegui por esse livro entender o quanto eles sofrem por não entender nosso mundo.
Como todo autista ela tem algumas preferências ,como comer pizza as quintas e desenhar muito bem!! ela ama um filme especificamente ,assim também é com minha filha...porém o filme preferido da Caitlin é o Bambi.

Ela perdeu a mãe ainda muito pequena,e através do filme ,isso lhe deu mais entendimento sobre a morte da mãe

Nossa mãe morreu dois anos antes de a gente assistir a Bambi por isso ele devia saber que as mães morrem e nunca mais voltam por mais que a gente chore e chame por elas." (from "Passarinha" by Kathryn Erskine)

Um dos desafios maiores é:
FAZER AMIZADES!
A grande maioria das crianças e até nós adultos,geralmente rejeitamos aquilo que é desconhecido,diferente e até estranho...Se é que eles sejam...pela minha experiência de vida,acho que nós ditos (normais) que somos estranhos,com todo nosso preconceito e defeitos.
Porém ,não é fácil para ela,e nem pra nenhum autista fazer amizades,pois geralmente são rejeitados por não serem compreendidos .
Caitlin tem uma meta ,traçada ela sua terapeuta: ter amizades!!
E ela vai fundo !!

"Mia e as outras meninas em volta dela começam a dar risadinhas. Tudo bem. Hum. Porque você é... especial. Obrigada, respondo. Mais risadinhas. Eu quis dizer, explica Mia, que você é daquele tipo de especial que é meio esquisito. Esquisito? Mia cruza os braços e dá um suspiro ALTO. Seu comportamento entende? Como assim? pergunto. Ela revira os olhos. Seu comportamento é... bem... perturbador. Perturbador? Meu comportamento é perturbador? O comportamento daquele garoto que deu os tiros é que foi perturbador. Começo a agitar as mãos porque essa palavra me dá muito medo e eu mal posso respirar. Ela olha para as minhas mãos que estão tremendo cada vez mais depressa. Isso mesmo. Perturbador. Eu NÃO SOU perturbadora! Você está perturbando a gente neste exato momento, diz uma das meninas. As outras começam a rir. Gente, gente! diz uma outra menina. Parem com isso! Parem de rir! Ela é autista. Como o William H. Minhas mãos agora estão tremendo muito depressa. Eu NÃO SOU autista! Algumas meninas riem. William não sabe falar. Vocês não estão ME OUVINDO FALAR? Tudo bem mas... William come TERRA e GRITA quando se zanga! EU NÃO SOU AUTISTA! Estou respirando com força e sentindo vontade de sair da minha pele mas trinco os dentes e agito as mãos com mais força e me viro e fujo dali e escuto gritos mas não sei se é a aula de música ou Mia ou eu." (from "Passarinha" by Kathryn Erskine)

Essa passagem do livro me tocou profundamente! Quando ela é confrontada pelas colegas da escola ,e compreende um pouco como as pessoas a vê...

Ela começa a entender que vive dentro do espectro autista, e neste espectro,existem graus.

"espectro é isso. É uma linha e todos estamos nela. Alguns de nós estão mais avançados nesta linha do que outros. Eu aprendi na aula de artes que o espectro são todas as cores do arco-íris. É mais como um prisma do que uma linha. Ou talvez uma linha grossa com um monte de cores. Não gosto do jeito como as cores se fundem num borrão na arte. Como é que a gente vai saber onde acaba uma e começa a outra? Eu tenho que saber exatamente onde estou no espaço. É por isso que só desenho em preto e branco. A Sra. Brook levanta uma das mãos e corre o dedo quase até a beira da mesa. Você está mais ou menos aqui. Um alto desempenho. Uma grande inteligência. Uma grande capacidade. William H. está na outra ponta, digo. William está mais atrás na linha. Isso mesmo. Seguro as beiras da mesa como a Sra. Brook e fico olhando para o tampo com os olhos franzidos e pensando que ponto EXATAMENTE sou eu. Não quero esbarrar em ninguém. Nunca se sabe o que poderia acontecer." (from "Passarinha" by Kathryn Erskine)

Resumindo ,esse livro é tocante! maravilhoso! Deveria ser lido por todas as pessoas,pois assim poderíamos ser pessoas melhores e menos julgadoras da outra


  Eu convivo com o autismo em um espectro SEVERO ,a 13 anos !! Minha filha Khadija é minha inspiração e meu maior tesouro,nós assim como Caitlin,trabalhamos duro com socialização ,educação e tarefas diárias ,é duro e também prazeroso aprender com minha pequena passarinha.
minha passarinha

O maior amor do mundo!

Outra lição do livro é sobre o Massacre de Virginia Tech ,que nos dá uma lição preciosa da dor das famílias que perderam seus filhos em um massacre não brutal.

"Este livro foi inspirado na tragédia da Virginia Tech e também na minha necessidade de explicar como é, para uma criança, ser portadora da Síndrome de Asperger. Os dois temas estão relacionados em meu modo de ver, porque creio firmemente na intervenção precoce, qualquer que seja a deficiência. Compreender as dificuldades das pessoas e — igualmente crucial — ajudá-las a compreender suas próprias dificuldades e ensinar-lhes maneiras concretas de ajudar a si mesmas irá, por sua vez, ajudá-las a lidar melhor com suas próprias vidas e, por extensão, com as nossas. Neste romance, a personagem principal tem Síndrome de Asperger mas está recebendo orientação precoce por meio do sistema de ensino público. Ela só conta com o pai e ele está longe de ser perfeito. O irmão era o membro da família que realmente a ouvia, tentava compreendê-la e lhe ensinava habilidades comportamentais úteis. Infelizmente, ele é assassinado na escola, e agora, a não ser pela orientadora, ela está por conta própria. Espero que, vendo o mundo pelos seus olhos, os leitores possam compreender comportamentos aparentemente bizarros. E espero que os leitores sintam que, vendo o mundo pelos olhos de alguém, e realmente compreendendo aquela pessoa, muitos mal-entendidos e problemas podem ser evitados — mal-entendidos e problemas estes que também podem levar a uma frustração crescente e, às vezes, até à violência. Minha Vida Mora ao Lado Fitzpatrick, Huntley 9788565859714" (from "Passarinha" by Kathryn Erskine)

Leiam Passarinha e se apaixonem por Caitlin!!
beijos^^





PRA CIMA!